41 3209-9502
41 9-9920-6075
SIGA-NOS
Formulário de Contato
Sua Conta

Blog

Audiência sobre o Autismo em Curitiba

A BCaBA e diretora clínica do CEDIN - Centro de Diagnóstico e Intervenção do Neurodesenvolvimento, Amanda Bueno, participou no dia 11 de abril de 2018 da Audiência pública “debate, desafios e perspectivas para apoio dos portadores de Transtorno do Espectro Autista”, levantando a andeira da ciência para o tratamento do autismo.

Agradecemos ao deputado Ney Leprevost pela oportunidade!
 
Segue matéria abaixo:
Os desafios e as perspectivas de acompanhamento do Transtorno do Espectro Autista (TEA) foram tema de uma audiência pública na manhã desta quarta-feira (11), na Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Proposto pelo deputado Ney Leprevost (PSD), o encontro reuniu especialistas, representantes de entidades e pais de portadores do autismo que expuseram as dificuldades e perspectivas para garantir qualidade de vida a estes indivíduos e suas famílias. A reunião contou também com a participação do deputado Marcio Pacheco (PPL).
 
Para Leprevost, é preciso tratar do tema com recorrência para que o Brasil possa alcançar políticas públicas sobre o autismo como as que são aplicadas em países desenvolvidos. “A partir do que discutirmos nessas audiências públicas podemos recolher subsídios para que se apresentem indicações legislativas, requerimentos ao Poder Executivo e projetos de lei melhores e mais eficientes”, afirmou.
 
De acordo com a diretora do Centro de Diagnóstico e Intervenção do Neurodesenvolvimento (Cedin), Amanda Bueno, é necessário atualizar a lei estadual que atende ao autismo, ainda sem regulamentação. “Precisamos nos unir por um tratamento efetivo e para isso se deve usar a ciência”, afirmou. “A ideia das mudanças na lei serve para unir a Secretaria de Estado da Saúde e a Secretaria da Educação, o que já é previsto, mas também envolver a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior. Como resolver os problemas de saúde e educação sem investir em treinamento?”, indagou.
 
Para Renato Ramalho, fundador do Super Espectro, portal de notícias especializado em TEA, a lei brasileira em relação ao autismo é de vanguarda. Segundo ele, é preciso formar bons profissionais para aplicar as técnicas modernas que são usadas pelos países desenvolvidos no acompanhamento dos pacientes. “É necessário garantir a efetividade de leis, efetividade de workshops e tratamentos para o dia a dia, além de assegurar efetividade na informação sobre o problema", explicou. De acordo com ele, a falta de informações ainda causa muitos erros na busca por diagnósticos.
 
Participaram da audiência pública ainda os vereadores por Curitiba, Pier Petruzziello e Felipe Braga Côrtes; o defensor público da área da Infância e Juventude da Defensoria Pública do Estado do Paraná, Thiago Magalhães Machado; a presidente da União de Pais pelo Autismo, Thielen Roth; a coordenadora do “Projeto Eu Digo X”, Sabrina Muggiati; a fundadora do Instituto ICO Project, Elise Matos; e a integrante do grupo de pais e mestres de autistas “Anjo Azul”, Fernanda Rosa.

(Fonte: http://www.alep.pr.gov.br/divulgacao/noticias/audiencia-publica-debate-desafios-e-perspectivas-para-apoio-dos-portadores-de-transtorno-do-espectro-autista)
 

« Voltar