41 3209-9502
41 9-9920-6075
SIGA-NOS
Formulário de Contato
Sua Conta

Blog

Problemas na hora de dormir? Já ouviu falar em Higiene do Sono

Problemas na hora de dormir? Já ouviu falar em Higiene do Sono

Escrito por: 
Aline Maran Brotto
Psicóloga do CEDIN







É muito importante falar sobre higiene do sono, pois pesquisas mostram, que 44 a 86% das crianças com autismo possuem algum tipo de problema no sono, essa faixa é grande, pois os problemas de sono podem variar de intensidade. Em comparação, cerca de 16% das crianças fora do espectro, possuem dificuldade em dormir. 

Algumas dicas para se trabalhar na hora de deitar-se e dormir iniciam-se com a percepção de que esse momento está chegando. Em algumas situações, por mais que o corpo se mostre cansado, pode ser uma dificuldade de perceber que é hora de dormir, portanto, estabelecer uma rotina e ter a previsibilidade de que está chegando o horário de se deitar para assim dormir é muito importante! Além, de pessoas com autismo serem potencialmente mais sensíveis a estímulos auditivos, visuais e táteis, isso quer dizer que sons que as vezes não nos incomodam podem incomodar pessoas neuroatípicas, e devemos ficar atentos a isso. As luzes, clarões, temperatura e o espaço em que está dormindo são influenciadores ambientais bastante relevantes.

É possível acompanhar nessa tabelinha do Friman (2005), quantas horas por dia, é comum uma criança até os 18 anos de idade, dormir de dia e a noite.



Mas afinal, como se preparar para o sono? 

Organizar uma rotina que mostre que está na hora de guardar os brinquedos (1), após isso se preparar para dormir, que consiste em escovar os dentes (2), colocar o pijama (3), observar se o banho (4) é relaxante ou estimulante para saber se deve fazê-lo antes de dormir, e dar boa noite (5) para as pessoas que convivem consigo. Realizar uma rotina de encerramento de atividades, através da criação de uma rotina que mostre que após a realização desses passos, devemos ir para cama e assim dormir. 

 Esses sinais são relevantes para se entender que as atividades estão acabando, logo, está chegando a hora de dormir, e também se cria uma rotina. É importante observar se atividades ou brincadeiras intensas na parte da noite estimulam ou cansam, pois isso pode influenciar o que oferecer para ser feito durante o início da noite. Outro item a ser observado, é a alimentação, pois para qualquer pessoa, alimentos com muito açúcar são estimulantes, mas, ter uma dieta balanceada, apropriada para a idade, faz diferença até na hora de dormir.

De uma maneira geral, a higiene do sono considera, que quando vamos para a cama, precisamos estar com sono, não dormindo, mas com sono, para que a o processo de dormir aconteça na cama. A pessoa que está indo para a cama, percebe que está indo dormir, e assim realiza o sono noturno. 

A possível transição de camas na madrugada, ida para o banheiro a noite ou troca de fraldas, devem ser observadas, pois deve-se colocar na rotina os comportamentos que acontecem, para assim modelá-los se necessário, como por exemplo dormir a noite inteira com os pais. Um dia a pessoa irá crescer, e quanto mais cedo trabalhar essa situação, antes haverá uma mudança de comportamento.   

Mesmo que a pessoa durma tarde as vezes, é importante buscar manter o horário de acordar ou o mais próximo possível. Muito embora possa parecer melhor deixar dormir até mais tarde e assim “recuperar” o sono, quanto mais regulado for o horário de acordar, melhor será o sono, tendo em vista uma preocupação com a qualidade do sono em médio prazo.

Portanto, para estabelecer um momento de sono de qualidade é importante conversar com os terapeutas e médicos da pessoa com autismo. Um sono de qualidade, é brincar e estudar com mais qualidade!


Referências

Goldman S.E. et al. (2009) Dev. Neuropsychol. 34, 560-573, PubMed;

Instituto do Sono, (2020) Medicina do sono aplicada ao Transtorno do Espectro do Autismo;

Friman, P. C. (2005) Good night, sweet dreams, I love you: now get into bed snd go to sleep!. 1st ed. Boys Town, Neb.: Boys Town Press.

« Voltar