41 3209-9502
41 9-9920-6075
SIGA-NOS
Formulário de Contato
Sua Conta

Blog

Qual a Importância de OBM – Análise do Comportamento Aplicada nas Organizações?

Escrito por: 
Daiton Martins
Diretor Administrativo/Financeiro
OBM







Para responder a esta questão, temos que nos aprofundar mais na função que representa o OBM para nossa ciência ABA, definindo seu conceito, história e importância.

OBM – Organizational Behavior Management é uma subdisciplina da ABA - Análise do Comportamento Aplicada, refere-se à aplicação do manejo comportamental em empresas, onde... OBM é guiado por uma teoria única do comportamento humano e historicamente enfatizou a identificação e modificação das variáveis ambientais que afetam diretamente a performance observável e verificável dos colaboradores. (Dickinson, 2000).

A primeira representação do OBM na história da ciência foi na National Society em 1962, sobre a Melhora de Performance. Tendo o primeiro Estudo de Caso publicado em 1966, e popularizado com textos, livros e artigos na década de 70, vale destacar que em 1977 foi criado a JOBM – Um JOURNAL para as publicações científicas no campo de OBM. Desde então, o OBM vem ficando mais sólido, e a cada dia indispensável para uma corporação. 

OBM tem trabalhado a melhora de performance de comportamento dos colaboradores (PM – Performance Management), com enfoque  em Análise Sistêmica do Comportamento, trabalhando metas focadas e alcançáveis, trabalhando o engajamento dos colaboradores, esta avaliação é constante com sistemas de medidas de comportamento, aqui quando falamos de metas, não são exatamente  resultados que lidamos diretamente em si, pois temos maior concentração nas variáveis do ambiente para manejar o Comportamento, daqui podemos fazer um boa distinção e manter uma famosa tese em OBM, que Comportamentos guiarão Resultados. Outra abordagem de OBM é melhorar a segurança em uma empresa (BBS-Behavior-Based Safety), criando um ambiente mais propício para evocar comportamentos desejáveis, logo temos como resultados, menos acidentes, maior ergonomia e um ambiente de trabalho salubre. Uma área que tem demonstrado bons resultados nos EUA, é o Pagamento por Performance. Aqui no Brasil ainda vejo algumas barreiras quanto a nossa legislação do trabalho, é uma abordagem muito vantajosa, pois contratos de trabalhos são feitos contingentes a comportamentos, a metas alcançadas e existe toda uma métrica de resultados, aqui colaboradores tem maior engajamento e validade social pelo papel desenvolvido dentro da organização. Em todas estas abordagens são usados Reforçamento Positivo, social e tangível, o Feedback tem maior impacto social, com maior precisão, seja ele Positivo ou Construtivo. 

Uma das premissas de OBM é manter a meta principal da ABA, que é melhorar comportamentos socialmente significativos, o foco aqui, de novo, é o ser humano e você trabalhará para impactar na melhora da qualidade de vida dele, então abordagens antiéticas estão fora deste contexto, como prejudicar meio ambiente, pessoas ou outras empresas. 

Portanto, vemos nas empresas uma área da Psicologia Organizacional, na qual é muito distinta de OBM, a Psicologia Organizacional é uma abordagem, na qual são utilizados testes psicológicos, técnicas da psicologia com enfoque de uma ciência Social e seu contexto subjetivo. Já em OBM, lidamos com Comportamentos, observáveis e mensuráveis, com enfoque na Ciência Natural. 

Com base no que foi apresentado, OBM tem uma importância significativa nas Organizações, podendo lidar com contingências de grupos, com a melhora do trabalho em equipe, melhora da performance dos colaboradores, produtividade, qualidade do produto ou serviço, promove um ambiente mais seguro, tem um foco em treinamento de equipe usando BST (Treinamento de Habilidades Comportamentais). 

As oportunidades de melhoras são inúmeras, isso vale para diferentes ambientes: Escolas, Indústrias, Comércios, Clínicas, Hospitais, Rede Pública ou Privada, OBM poderia assumir amplamente servido de ciência para o manejo de Comportamentos que guiam Resultados.

Referências:
Dickinson, A. M. (2000). The historical roots of Organizational Behavior Management in the private sector: The 1950s-1980s. Journal of Organizational Behavior Management, 20 (3/4), 9-58.

« Voltar